TWITTER: ambiente paranóico ou social?

O uso dado às ferramentas que estão disponíveis na rede sempre gera uma boa discussão, visto que as pessoas se apropriam cada vez mais de suas funcionalidades para suprirem suas necessidades, anseios ou, simplesmente, para o entretenimento. Acabam por dar usos dos mais inesperados aos sistemas que surgem na Web.

O Twitter é uma destas ferramentas que tem recebido uma atenção diferenciada dos internautas há alguns meses no Brasil. A ferramenta surgiu em 2006 e no ano passado já crescia consideravelmente o número de contas mundo afora. No Brasil, o número de adeptos ao Twitter foi crescer de forma expressiva apenas neste ano.

A idéia inicial da ferramenta é responder a pergunta O que você está fazendo? A resposta/postagem deve ter até 140 caracteres e, mesmo que eu não concorde, o sistema é também conhecido como microblog. Os usuários criam contas para que suas respostas possam ser seguidas por outros. Um tanto paranóico, não?

Mas, o que estaria levando as pessoas a utilizarem tal ferramenta a ponto de disponibilizar a outros contatos, conhecidos ou não, seus afazeres? Formando assim mais uma rede social ligada pelos cotidiano dos internautas.

O uso que dou ao Twitter é basicamente para interação social. Não tenho a intenção de seguir contas de agregadores de notícias, que seria outro uso dado ao sistema para divulgar links de matérias para que possam ser seguidos. Até tentei seguir estes Twitters de notícias, mas acabei desistindo por dois motivos: acho os feeds mais eficientes para essa finalidade; e, também, porque prejudicou que eu seguisse as pessoas das quais acompanho as contas, devido ao grande número de atualizações que o Twitter de notícias fazia.

Porém, o que me interessa para esta postagem é a interação social mencionada acima. Como se dá esta interação social? É neste ponto que, agora, vejo no Twitter uma possibilidade de socialização que eu não possuía na Internet, mesmo nos sites de relacionamentos como Facebook ou Orkut. Aquela paranóia que mencionei de seguir as pessoas e de ser seguido passou a criar a possibilidade de criar o imaginário de um ambiente virtual social para conversar com as pessoas.

Mas, isso é possível? Como se dá este ambiente virtual social?

As pessoas que sigo no Twitter, cerca de 20 contatos, possuem o perfil profissional um tanto parecido com o que escolhi a partir deste ano. Considerando que a academia passou a ser o meu trabalho. Esta vida acadêmica tem exigido uma grande dedicação à leitura, pesquisa e produção de textos para diversos fins científicos. Este é um trabalho solitário, pois exige uma concentração e, também, pelo fato de ver que as pessoas que acompanho, em sua maioria, vieram a Porto Alegre para estudar e passaram a viver só em apartamentos, assim como eu, envoltos de livros, artigos e dados científicos. Então, o Twitter passou a ser uma válvula de escape para que eu possa construir este imaginário de socialização, já que ali recorro em meus tempos de dispersão entre uma leitura e outra, um blog ou outro, um dado ou outro, para simplesmente escrever coisas sem objetivos específicos e, também, para ver o que as pessoas andam fazendo. Por possuirmos perfis semelhantes, é normal que nossos interesses passem a ser o mesmos e, por isso, acabamos por encontrar até informações úteis para os nossos trabalhos, um no Twitter dos outros, como num diálogo qualquer no momento do intervalo da sala de aula que pode ter fundamento ou não. Diria que o Twitter tem cumprido esse papel de intervalo, de momento de socialização, para que eu possa continuar o meu trabalho e não acabe louco por tanto estudo, quando a única interação que tenho para recorrer na maioria dos dias da semana é através da máquina.

Então, além de paranóico, o Twitter estaria cumprindo o papel de terapeuta, amigo? Não sei, mas as pessoas que ali estão, compartilham seus afazeres e que as vezes passam a interagir comigo, em um afazer ou outro, diria que sim, estão cumprindo um papel social em minha vida.

O Twitter serve pra eu me socializar, sem objetivos previamente estabelecidos ou planejados através de metas traçadas.

O Twitter é um ambiente de socialização.🙂

*exemplo de informação útil neste link vista no Twiiter da Raquel.

6 Responses to “TWITTER: ambiente paranóico ou social?”


  1. 1 Raquel quinta-feira, maio 1, 2008 às 4:48 PM

    Acho que o uso social sempre tem, mas até comentei agora há pouco uma matéria que fala dos usos para organizaçào social, ativismo e por ai vai.🙂

    Eu tenho achado o Twitter bem interessante como apropriação no Brasil, o pessoal parece que está realmente usando para coisas mais diferentes.

  2. 2 Gilberto Consoni quinta-feira, maio 1, 2008 às 4:57 PM

    Raquel: Eu lembro que tu havia feito uma postagem há um tempão e que eu, inclusive, comentei que ainda não sabia que uso dar ao Twitter e, agora, estou usando de uma forma que nem eu esperava. Também tenho achado bem interessante o uso do Twitter no Brasil.🙂

  3. 3 Gabriela sexta-feira, maio 2, 2008 às 12:42 PM

    No geral, os brasileiros têm se apropriado da ferramenta de formas bem interessantes🙂
    Bom, e a vantagem de seguir feeds de notícias no Twitter é poder acompanhar em tempo real os fatos quando acontecem (tipo, não precisa ficar abrindo um leitor de feeds para saber o que está acontecendo). Mas concordo que a maior parte desses feeds produz muito ruído (muitas atualizações, que acabam nos desviando de atualizações que seriam realmente interessantes – a dos conhecidos e amigos). O Twitter é um ambiente legal para interação social – praticamente um gigantesco MSN público😀

  4. 4 Mariana sexta-feira, junho 19, 2009 às 1:58 PM

    Olá!

    Gostei muito do post e me identifiquei bastante também. Estou finalizando o mestrado e tenho usado o twitter com alternativa ao Google Reader (especificamente para acompanhar divulgação cultural aqui em São Paulo), mas minha motivação foi conhecer outros pesquisadores ou profissionais que estudam temas correlatos ao meu.
    De fato, nem sempre é útil tudo o que publicam no Twitter, particularmente me incomoda o uso do Twitter para marketing viral, mas as empresas tem feito isso aos montes, né?

    Abração

    • 5 Gilberto Consoni terça-feira, junho 23, 2009 às 2:56 PM

      Mariana,

      As empresas têm percebido um forte potencial nas mídias sociais como o Twitter para divulgação de seus produtos.

      Também não gosto de receber propaganda não desejada todo o tempo nas diferentes redes que eu participo. Mas, há várias formas de contornar este problema.

      No caso do Twitter, por exemplo, evito seguir os perfis de empresas e, de umas semanas para cá, migrei para a ferramenta TweetDeck que me permite criar grupos de pessoas que sigo. Assim, não preciso sair dando unfollow nos que utilizam o Twitter com este propósito de marketing, pois seus tweets aparecem em uma janela a parte que vejo vez que outra, quando tenho tempo, ou seja, nunca😛


  1. 1 Publicar ou interagir no jornalismo: serviço interativo de micromensagem não é microblog « Web Research Trackback em segunda-feira, abril 20, 2009 às 2:05 PM

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




.:del.icio.us

Creative Commons License
Blog Web Research by Gilberto Consoni is licensed under a Creative Commons.

.:visits since 11fev08

  • 142,222

%d blogueiros gostam disto: